Slideshow

História, Mulher so séc. XXI e o Poder

A nova mulher pós-moderna é mãe, esposa, dona de casa, empresária, empreendedora, arrimo de familia, e por que não Presidente da República?[...]

Leia mais!

Crônicas de uma Julieta do séc. XXI

Julieta Augusta era como toda jovem do séc XXI, principalmente no quesito resvoltada sem causa. Aliás não diria que faltasse motivos para revolta já que sua mãe teve a infeliz ideia de lhe presentear com um nome duplo.[...]

Leia mais!

Crônicas de uma Julieta do séc. XXI - 2ª parte

Na teoria as coisas sempre funcionam melhor que na prática e não seria diferente no caso de Julieta e Carlos. Neste ponto é preciso abrir um[...]

Se você gostou,

Leia mais!

Curiosidades da História da Publicidade no Brasil

A década de 80 seria a década da mais rápida e de definitiva transformação econômico-política internacional de que se teve notícia no século. O começo dos anos 80 seria o início do amadurecimento do mercado editorial brasileiro, em termos mercadológicos.[...]

Leia mais!

Rock In Rio 2011: Novidades do Fsetival

O Rock in Rio completou no início deste mês 26 anos desde sua estreia , em 1985. Neste meio tempo, foram muitas histórias e momentos inesquecíveis que transformaram toda uma geração[...]

Leia mais!

quinta-feira, 17 de junho de 2010

A matemática das Copas do Mundo

A revista Super Interessante deste mês publicou uma matéira com uma pesquisa sobre a matemática das Copas do Mundo. Como estamos em meio a esta festa popular que une as pessoas e mostra a rivalidade esportiva entre as nações, achei interessante publicar esta matéria aqui no Jornalismo Antenado. Espero que curtam saber tais curiosidades.

-A Fifa mantém um ranking das copas por pontos corridos: cada vitória vale 3 pontos (e 2 se tiver acontecido antes de 1994). empate dá 1 ponto. E vitória nos pênaltis, 2 :
1º Brasil = 208 pontos
2º Alemanha = 188 pontos
3º Itália = 152 pontos
4º Argentina = 115 pontos
5º Inglaterra = 92 pontos.

- Se a seleção que mais fez gols em cada edição tivesse ficado com a taça ,ainda assim o Brasil continuaria na frente:


1º Brasil = 1950,1962,1970,
2002.

2º Argentina = 1930,1978,
1986.
3º Hungria =1938 e 1954.
    França =1982 e 1998.
    Alemanha =1990 e 2006.

- A lista de títulos só para comparar:
1º Brasil = 1958,1962,1970,1994 e 2002.
2º Itália = 1934,1938,1982 e 2006.
3º Alemanha = 1954,1974 e 1990.
4º Argentina = 1978 e 1986.
5º Inglaterra = 1966.
    França = 1998.


- Maiores Artilheiros :
15 gols = Ronaldo (Brasil) - 1998,2002,2006.
14 gols = Gerd Müller (Alemanha) - 1970,1974.
13 gols = Just Fontaine (França) - 1958.
12 gols = Pelé (Brasil) - 1958,1962,1966,1970.
11 gols = Sandor Kocsis (Hungria) - 1954.
               JürgenLinsmann(Alemanha) - 1990,
994 e 1998.


- As maiores goleadas:
1982 = Hungria 10 x 1 El Salvador
1954 = Hungria 9 x 0 Coreia do Sul
1974 = Iugoslávia 9 x 0 Zaire
1938 = Suécia 8 x 0 Cuba
2002 = Alemanha 8 x 0 Arábia Saudita.

-As maiores zebras:
1966 = Coreia do Norte 1 x 0 Itália (foi a única vitória dos norte-coreanos naquela copa. O vexame desclassificou a Itália).
1950 = EUA 1 x 0 Inglaterra (e a Inglaterra não tinha disputado as copas  anteriores porque se achava boa demais...).
1978 = Escócia 3 x 2 Holanda 9 (a vitória contra o segundo carrosel é o momento da história do futebol escocês.)
1982 = Argélia 2  x 1 Alemanha ( o sobrenome de uma dos Argelinos em campo era Zidane.Não era o Zinedine, mas ajuda a explicar.)

- Futebol moleque:
16 anos e 11 meses é a idade do jogador mais jovem a ir para uma copa, o brasileiro Edu, do Santos convocado para 1966.
17 anos  8 meses é oq ue tinha Pelé o campeão mais novo quando disputou a fiunal da Copa de 1958.



- Ao todo até hoje  foram: 
Em 18 Copas = 708 jogos totalizando 2.063 gols.

Fonte: Revista Super Interessante - Edição 278 - Jun/ 2010. Pág 37 -
Jornalista responsável pela matéria : Alexandre Versignassi 

Espero que todos tenham gostado de saber um pouco mais dos números das Copas do Mundo. A atual Copa da África do Sul até agora vem nos prometendo muitas curiosidades, principalmente se considerarmos as "zebras" dos jogos dos espanhóis e franceses. Sempre tão bem cotados pela imprensa mundial para futuros campeões e decepcionaram em suas atuações neste ano.  Vamos ver o que nos reserva as próximas rodadas, já deu para percebermos que as vitórias não serão fáceis, mas não podemos dizer que é impossível ganhar o campeonato. No decorrer dos jogos discutiremos mais a respeito...

Márcia Canêdo

By JORNALISMO ANTENADO with 14 comments

sábado, 12 de junho de 2010

Bate coração ...

Elba Ramalho a muito anos atrás tinha uma canção em seu repetório que dizia assim "Oi, tum bate coração ... Oi, tum coração pode bater...Oi, tum, tum, tum, bate, coração... Que eu morro de amor com muito prazer". Bom a expressão morrer de amor na época do Romantismo também era muito difundida entre os poetas, uma metáfora para os amores impossíveis ou que terminavam tragicamente. Pois bem, morrer de amor é tão improvável de acontecer do que viver de amor, senão seria muito fácil, nos apaixonaríamos, começaríamos a amar um ao outro e "zaptt " todos os problemas terminariam. Na realidade não é assim, como todos sabem.( aliás creio que a confusão estaria armada se isso acontecesse) 

O encontrar de olhares, a boca seca , aquele friozinho na barriga, um arrepio que desce as costas (e mesmo com uma temperatura de 10° podemos afirmar que ele nao foi de frio) ... quem de nós não sentiu essas sensações ao menos uma vez na vida?! É o amor dando seus primeiros sinais vitais... E aquela vontade louca que o celular toque ou que pelos menos uma mensagem dizendo "Oi meu amor,estou pensando em você, te adoro!" chegue no aparelho. Acham que estou brincando? Só quem nunca amou ou não está amando é capaz de achar que é uma brincadeira. O restante sabe que digo algo verídico. 

No dia 12 de junho comemora-se o Dia dos Namorados... bem... posso estar enganada, mas deveria ser comemorado o Dia do Amor. Afinal mesmo depois de anos juntos, um casal deveria sentir ainda muito amor um pelo outro, mesmo que este já tenha sido modificado pelo tempo e obstáculos que a vida impõe. Saudar o amor é algo sublime, mesmo que nem sempre possamos ter ao nosso lado aqueles que amamos seja pela distância que torna os encontros em intervalos maiores (não menos prazeirosos no entanto) ou por outros motivos quaisquer e nestes casos a saudade será nossa fiel companheira. Aliás, saudade vem do latim "solitas, solitatis" (solidão), mas este sentimento é usado para designar quando sentimos falta da presença física de alguém, do que vivemos e queremos repetir dentro em breve. E também quando perdemos alguém querido e sabemos que teremos apenas a lembrança para nos ajudar a seguir a caminhada. Em todos os casos, quando este sentimento  acontece em nossa vida, pode esperar que como diz a gíria "o babado é forte" e se ainda não é amor, está encaminhando para se tornar.   
  
Nosso coração precisa desse "batucar" incessante que o amor nos proporciona, essa descarga forte de adrenalina que faz nosso sangue ferver. Amar e ser amado, é o que todos querem e buscam ao longo de suas vidas. Deus não nos criou para o ostracismo, para vivermos isolados. Ao contrário, ao nos presentear com a fala como um dos meios de nos comunicarmos, interagirmos com as pessoas, nós nos abrirmos às amizades e aos amores já faziam parte dos projetos dele. E o ser humano continua nessa constante busca pela felicidade ao lado do ser amado(a). Não que eu esteja dizendo que é infeliz aquele que faz a opção por permanecer sozinho, apenas que é uma dádiva quando encontramos alguém que tem os mesmos anseios que a gente, que pensa parecido mesmo quando quilômetros de distância nos separam. Enfim como diz minha atual frase no MSN :"Um sonho sonhado sozinho é um sonho. Um sonho sonhado junto é realidade". sinceramente não lembro  onde lí isto , mas asseguro que condiz com meu pensamento atualmente.

Márcia Canêdo

Não resisti  e quis deixar para vocês em comemoração a esse Dia de festejar o  Amor um poema de um poeta que admiro muito o trabalho e que escreve de um jeito  que cala fundo meu coração.Este é um dos que me inspiram muito.Espero que gostem!


A Dança (Pablo Neruda)



Não te amo como se fosses rosa de sal,topázio



ou seta de cravos que propagam o fogo:

amo-te como se amam certas coisas obscuras,

secretamente, entre a sombra e a alma.

Amo-te como a planta que não floriu e tem

dentro de si, escondida, a luz das flores e,

graças ao teu amor, vive obscuro em meu corpo

o denso aroma que subiu da terra.

Amo-te sem saber como, nem quando, nem onde,

amo-te diretamente sem problemas nem orgulho:

amo-te assim porque não sei amar de outra maneira,

a não ser deste modo em que nem eu sou nem tu és,

tão perto que a tua mão no meu peito é minha,

tão perto que os teus olhos se fecham com meu sono.


Fonte: http://www.pensador.info/

By JORNALISMO ANTENADO with 12 comments

sexta-feira, 11 de junho de 2010

Fatos Marcantes do dia 11 de Junho

Fatos que marcaram o dia 11 de junho em todos os tempos

-1762 - Em seu ataque a Cuba, a expedição inglesa toma La Cabaña, um dos fortes mais importantes de Havana. Um ano depois, os ingleses deixaram o local.



-1864 - Nasce o compositor alemão Richard Strauss.


-1910 - Nasce Jacques Cousteau, explorador e inventor francês.



-1940 - Segunda Guerra Mundial: Grã-Bretanha, Canadá, Austrália e Nova Zelândia declaram guerra à Itália.



-1950 - O pintor francês Henri Matisse ganha o Grande Prêmio da Bienal de Veneza.


-1979 - Morre John Wayne, ator norte-americano de cinema.



-1981 - Um terremoto no Irã deixa milhares de mortos e feridos.



-1982 - Mais de 800 mil pessoas se manifestam em Nova York em favor da paz.

-1987 - Vitória eleitoral do partido conservador no Reino Unido: Margaret Thatcher inicia seu terceiro mandato.


-2001 - O terrorista Timothy McVeigh é executado pela explosão do prédio Alfred Murrah, em Oklahoma City, em que morreram 168 pessoas em 1995.



-2009-A OMS eleva para 6 o nível de alerta e é decretada pandemia de gripe A.



-2010 - Início da Copa do Mundo, na África do Sul.

Fonte: http://wikipedia.org
                   www.terra.com.br

Depois de ter ficado em falta vocês leitores mês passado, por motivos pessoais e técnicos , a Série Fatos que Marcaram Época retorna no mês de junho com força total.

Bem, de cara não poderia deixa de destacar o início da Copa do Mundo na África do Sul , que por ser um evento mundial e ainda por cima de futebol mobiliza a todos . Durante quatro semanas, a África do Sul será o centro do mundo,os olhares de bilhões de espectadores, milhões de visitantes internacionais e a nata dos meios desportivos estarão todos focalizados no evento. Os jogos da Copa do Mundo da FIFA 2010 vão realizar-se em 10 estádios: dois em Johannesburg e um em cada uma das oito cidades anfitriãs.

Outro fato que merece destaque é sobre Jacques Cousteau que foi um oficial da marinha francesa, mundialmente conhecido por suas viagens de pesquisa, consquistou o Oscar em 1956 com o documentário "O mundo silencioso", filmado no Mediterrâneo e no Mar Vermelho. Ao longo de sua carreira fez diversos documentários que ficaram conhecidos por todo o mundo . 

A morte de Wayne deixou milhares de fãs chorosas por todo o mundo e os amantes de
filmes de cowboy órfãos de um de seus principais representantes. John Wayne marcou várias gerações com seu jeito de atuar. No estilo machão, o bom cowboy do Velho Oeste foi sem dúvidas seu personagem mais representativo. Wayne dizia que nunca se considerou um bom ator, dizia "sempre representei eu mesmo".

Uma observação interessante sobre Margaret Thatcher, é que ela foi considerada como "O homem forte do Reino Unido", por Ronald Reagan, presidente dos Estados Unidos , devido à sua postura, bastante forte e masculina perante o poder. Thatcher governou com pulso firme até 1990, ganhando o apelido de "Dama de Ferro", por seu jeito inflexível.

Bom muitos foram os fatos que marcaram o dia 11 de junho ao longo dos anos, porém estes que destaquei são a meu ver os mais interessantes cada qual em seu ramo de atuação e a Copa 2010 por ser o evento recente, algo que no decorrer de seu acontecimento com certeza merecerá mais alguns comentários no blogger.

Márcia Canêdo

By JORNALISMO ANTENADO with 8 comments

quinta-feira, 3 de junho de 2010

Um convite à leitura da obra Nosso Lar

Os livros psicografados pelo grande Chico Xavier sem dúvida alguma dispensa apresentações, porém Nosso Lar para mim sempre teve um lugar especial dentre as inúmeras obras espíritas que lí até então. A primeira vez em que o tive nas mãos foi cerca de uns 10 anos atrás e para mim conhecer a trajetória do espírito de André Luiz em seu desencarne e experiências vividas na comunidade Nosso Lar foi um divisor de águas em minhas crenças.


Em ocasião do lançamento do filme contando a história de Chico, tive o prazer de ver o trailer das gravações de Nosso Lar, baseado no livro de mesmo nome, que  tem  previsão de estreiar em setembro deste ano. Ver ali retratadas as imagens que antes eram parte de meu imaginário apenas, foi uma grande alegria, porque sei que muitos que não tiveram a oportunidade ou vontade  de ler o livro, agora poderão ir nos cinemas e conhecer essa belíssima história que nos mostra tão bem uma parcela do conteúdo da Doutrina de Kardec.

Como na ocasião lí o livro emprestado de uma amiga (que hoje por sinal é minha comadre pois sou madrinha da filha dela), decidi adquirir a obra e poder relê-la novamente agora e sempre que achar necessário. Do espírito de André Luiz (não é este seu nome realmente) sabe-se apenas que foi médico sanitarista, no século iniciante, e que exerceu sua profissão no Rio de Janeiro, Brasil. Segundo suas próprias palavras, optou pelo anonimato, quando da decisão de enviar notícias do além-túmulo, por compreender que "a existência humana apresenta grande maioria de vasos frágeis, que não podem conter ainda toda a verdade".



Declara Emmanuel, no prefácio de "Nosso Lar", que ele, "por trazer valiosas impressões aos companheiros do mundo, necessitou despojar-se de todas as convenções, inclusive a do próprio nome, para não ferir corações amados, envolvidos ainda nos velhos mantos da ilusão." Minha opção em publicar aqui uma sinopse de todos os capítulos foi como forma de proporcionar à aqueles que não leram ainda a obra de ter um breve histórico do que nela é retratado e optar em adquirir-la ou esperar para ver o filme em setembro deste ano. Para os que já tem conhecimento do conteúdo e gostaram como eu por exemplo, fica a dica em reler o livro, pois a cada releitura temos a capacidade de enxergar pontos que antes ficaram obscuros.

SOBRE A OBRA
Título: "Nosso Lar" - (50 capítulos - 281 páginas).
Autor: Espírito André Luiz (pseudônimo espiritual de um consagrado médico que exerceu a Medicina no Rio de Janeiro).


Psicografia: Francisco Cândido Xavier (concluída em 1943).

Edição: Primeira edição em 1944, pela Federação Espírita Brasileira (Rio de Janeiro/RJ). Neste trabalho: 48ª Edição/1998.

Prefácio: Espírito Emmanuel.


Introdução: Do próprio autor espiritual (André Luiz).


Nota: Em 2003 a obra alcançou a expressiva marca de 1,5 milhão de exemplares.



CONTEÚDO DOUTRINÁRIO PRESENTE NA OBRA:


a) O Autor narra sua experiência após a desencarnação, descrevendo minuciosamente o sofrido estágio no Umbral, detalhando-o também;


b) A seguir, conta a emoção de ter sido socorrido e ser levado para uma cidade espiritual denominada "NOSSO LAR"...


c) A partir daí, o livro abre um leque de informações absolutamente inéditas sobre o Plano Espiritual.

ESTRUTURA DA CIDADE ESPIRITUAL "NOSSO LAR" :



Fundação: No século XVI, por portugueses distintos, desencarnados no Brasil.
Localização: Sobre a cidade do Rio de Janeiro.

Governador: a Governadoria está num edifício, "de torres soberanas que se perdem no céu".

Ministérios: 6 (seis), a saber:

Ministério da Regeneração, do Auxílio, da Comunicação,do Esclarecimento, da Elevação e da União Divina.

Ministros: cada Ministério é administrado por 12 (doze) Ministros.

População: homens e mulheres, jovens e adultos (desencarnados), em número de um milhão, segundo dados fornecidos pelo Autor, em 1943.

Construções, dependências e lugares especiais: Grande muralha protetora da cidade, com baterias de proteção magnética, conjuntos habitacionais, praça central (que acomoda até um milhão de pessoas), fontes luminosas, jardins, parques arborizados, o Bosque das Águas, o Rio Azul, o Campo da Música, a Câmara de Retificação (para enfermos), etc.
(Umbral = região com várias escalas morais, sendo a mais infeliz denominada de "Trevas").



CITAÇÕES ESPECIAIS:

"Aérobus": veículo de transporte, de grande comprimento, deslocamento veloz e aéreo.

Coral: 2.000 vozes (Hinos: "Sempre Contigo, Senhor Jesus", "A Ti, Senhor, Nossas Vidas").


Globo de Cristal: de 2m de altura (utilizado em reuniões mediúnicas com encarnados)


“Bônus-Hora”: forma de pagamento por serviços beneméritos prestados — cada hora de trabalho corresponde a um bônus-hora.

Imagem do filme Nosso Lar com previsão de estréia em setembro/2010

SINOPSE DOS CAPÍTULOS:

CAPÍTULO 1

Nas Zonas Inferiores – Descrição fantástica do local onde o Autor Espiritual se encontrou após a desencarnação. Sentia-se permanentemente em viagem... Pouca claridade. Pavor por chacotas vindas de desconhecidos. Dificuldade para obter a bênção do sono. Lágrimas permanentes. Esteve próximo à loucura, prestes a perder a razão. Via seres monstruosos, irônicos, perturbadores... Recordações da existência terrena, quando gozava de prosperidade material e pais “extremamente generosos”.


CAPÍTULO 2

Clarêncio – Seres maldosos e sarcásticos gritavam a A. Luiz: “suicida, criminoso, infame”. Em vão tentou revidar. Com a barba hirsuta e roupa rompendo-se sofria mais pelo abandono que o envolvera. Não se conformava em ser acusado de suicida, pois sabia que não o fora, lembrando-se de haver morrido no hospital, após cirurgia intestinal. Sentia fome. Saciava-se com lama... Amiúde via manada de seres animalescos. Médico, sempre detestara as religiões, mas agora experimentava necessidade de socorrer-se de alguma delas. Estando já no limite das forças, orou (!). Em resposta, das neblinas surgiu o benfeitor Clarêncio, acompanhado de dois auxiliares. Foi conduzido para o “Nosso Lar”.

CAPÍTULO 3

A oração coletiva - Descrição de “Nosso Lar” e do ambiente de oração coletiva. Ao crepúsculo, um Espírito coroado de luz (o Governador Espiritual), seguido de 72 outros Espíritos (seus Ministros), entoam harmonioso hino. A. Luiz reconfortou-se.


CAPÍTULO 4

O médico espiritual – Hospitalizado, A. Luiz é atendido por um médico espiritual que comprova o “suicídio inconsciente” que praticou. É lição-alerta imperdível e inédita quanto a essa característica do comportamento da maioria dos encarnados.


CAPÍTULO 5

Recebendo assistência – Há pungente informação de Espíritos internados no “Nosso Lar” e que têm órbitas vazias (olhos gastos no mal...); outros são paralíticos ou não têm as pernas (locomoção fácil em atos criminosos...); outros em extrema loucura (por aberrações sexuais...). São citados os “germes de perversão da saúde divina”, agregados ao perispírito (!).


CAPÍTULO 6

Precioso aviso – A. Luiz “desabafa” com Clarêncio, que o ouve pacientemente. Recorda da esposa e dos filhos: onde e como estarão? Após ouvi-lo, Clarêncio sugere-lhe a auto-reforma de pensamentos e o silêncio das lamentações próprias. Diz-lhe: “No “Nosso Lar” dor significa possibilidade de enriquecer a alma”...


CAPÍTULO 7

Explicações de Lísias – A. Luiz descreve sua dificuldade de adaptação à “nova vida”. No “Nosso Lar” a natureza apresentava-lhe aspectos melhorados, em relação à Terra: grandes árvores, pomares fartos, jardins deliciosos, cores mais harmônicas. Todos os edifícios com flores à entrada. Lindas aves cruzavam os ares. Entre árvores frondosas, animais domésticos. Lísias explica que há regiões múltiplas, segundo hierarquia moral. A. Luiz pergunta pelos pais, que o antecederam e até agora não o procuraram... Lísias então lhe informa que sua mãe, habitando esferas mais altas, o tem ajudado noite e dia...


CAPÍTULO 8

Organização de serviços – A. Luiz visita a cidade “Nosso Lar”, indo ao Ministério do Auxílio: largas avenidas, ar puro, muitas pessoas indo e vindo. “Nosso Lar” tem 6 (seis) Ministérios (da Regeneração, do Auxílio, da Comunicação, do Esclarecimento, da Elevação e da União Divina), cada um orientado por 12 (doze) Ministros. Na História de “Nosso Lar” consta que foi fundado por “portugueses distintos”, desencarnados no Brasil, no século XVI.

CAPÍTULO 9
Problema de alimentação – Preciosas informações quanto ao abastecimento alimentar: em “Nosso Lar”, no passado, houve demandas; após, a alimentação passou a ser por inalação de princípios vitais da atmosfera e água misturada a elementos solares, elétricos e magnéticos. Só entre os mais necessitados é que há alimentos que lembram os da Terra.


CAPÍTULO 10

No Bosque das Águas – A. Luiz vai ao grande reservatório de água (!). Viaja no aeróbus, veículo aéreo semelhante a um grande funicular (veículo terreno cuja tração é proporcionada por cabos acionados por motor estacionário e que é geralmente usado para vencer grandes diferenças de nível). Vê um grande rio: o Rio Azul. É exaltada a importância da água, tão deslembrada dos humanos...


CAPÍTULO 11

Notícias do Plano – Como “Nosso Lar”, existem incontáveis outras colônias espirituais. É citada a de “Alvorada Nova”, vizinha. No “Nosso Lar” preparam-se reencarnações, após proveitosos aprendizados para as futuras tarefas planetárias.


CAPÍTULO 12

O Umbral – É descrito que o Umbral começa na crosta terrestre, como zona obscura para os recém-desencarnados. É região em torno do planeta e de profundo interesse para os encarnados. É local de grandes perturbações, pelas “legiões compactas de almas irresolutas e ignorantes”. Lá existem núcleos de malfeitores, verdugos e vítimas. Acha-se repleto de formas-pensamento de encarnados, sintonizados com os desencarnados que lá estão.


CAPÍTULO 13

No Gabinete do Ministro – A. Luiz apresenta-se a Clarêncio como voluntário ao serviço. Assiste ao diálogo do Ministro com uma voluntária, mãe, desejosa de proteger dois filhos encarnados. Tem notícia do bônus-hora (ponto relativo a cada hora de serviço).


CAPÍTULO 14

Elucidações de Clarêncio – O Ministro, com fraternidade expõe a A. Luiz que pelo seu passado não poderá ser médico em “Nosso Lar” e sim aprendiz. E isso devido a rogativas de sua mãe e graças às seis mil consulta a necessitados nos quinze anos de clínica médica terrena dele... Dos atendidos nessas seis mil consultas, quinze ainda fazem preces a seu favor.


CAPÍTULO 15

A visita materna – A. Luiz recebe visita de sua mãe, espírito excelso, que o consola com extremado amor. Vive em esferas mais elevadas.


CAPÍTULO 16

Confidências – A mãe de A. Luiz informa-lhe que o pai está a doze anos em zona de trevas compactas, conseqüência de mau procedimento quando encarnado, com ligações clandestinas e promessas não cumpridas a mulheres, do que resultou amealhar obsessoras vingativas. Sua mãe dá-lhe notícias de suas três irmãs (desencarnadas).


CAPÍTULO 17

Em casa de Lísias – A. Luiz é hospedado na casa da mãe de Lísias, onde conhece as duas irmãs dele. Vê livros maravilhosos e então lhe é dito que “os escritores de má-fé, que estimam o veneno psicológico” são conduzidos imediatamente para as zonas obscuras do Umbral, e lá permanecerão, até regenerarem-se...


CAPÍTULO 18

Amor, alimento das almas – Novas lições sobre alimentação no “Nosso Lar”. Na nutrição espiritual o Amor é o maior sustentáculo das criaturas. É citado que o sexo é manifestação sagrada do Amor universal e divino.


CAPÍTULO 19

A jovem desencarnada – A neta de Laura, recém-desencarnada, sofre ante a lembrança do noivo que, mesmo antes dela desencarnar, ligara-se a uma amiga sua. Laura emite preciosas lições sobre o Amor e sobre a fidelidade.


CAPÍTULO 20

Noções de Lar – O lar é esquematizado por conceitos matemáticos (!), acoplados a profundos conceitos morais.


CAPÍTULO 21

Continuando a palestra – Explicações sobre o bônus-hora: sua aquisição (com trabalho pelo próximo) e sua aplicação no “Nosso Lar”. É citado que a recordação do passado exige equilíbrio e forçá-la poderá causar desequilíbrio e loucura.


CAPÍTULO 22

O bônus-hora – Detalhes sobre essa interessante retribuição por serviços prestados, valorizando o trabalho pelo bem coletivo.


CAPÍTULO 23

Saber ouvir – Notas sobre a inconveniência da maioria dos desencarnados terem notícias dos encarnados com os quais se ligavam. Geralmente, ocorrem desequilíbrios...


CAPÍTULO 24

O impressionante apelo – Notícias (Agosto/1939) da 2ª Guerra Mundial, então prestes a eclodir... Ouve-se em “Nosso Lar” apelos de uma emissora espiritual, solicitando voluntários à assistência a coletividades terrenas indefesas, que sofrerão os horrores de uma grande guerra...

CAPÍTULO 25

Generoso alvitre – Sugestões de Laura a A. Luiz quanto às futuras atividades que ele poderá exercer em “Nosso Lar”.

CAPÍTULO 26

Novas perspectivas – A. Luiz vai às “Câmaras de Retificação”, localizadas em pavimentos de pouca luz, onde estão hospitalizados Espíritos necessitados nos primeiros tempos de moradia em “Nosso Lar”.

CAPÍTULO 27
O trabalho, enfim – Nas “Câmaras de Retificação” A. Luiz fica impressionado com os quadros de sofrimento dali: “milionários das sensações físicas, transformados em mendigos da alma”. Espontaneamente, num ato de exemplar humildade, se transforma em auxiliar da limpeza de vômitos de substância negra e fétida - fluidos venenosos expelidos por Espíritos que se beneficiaram de passes.

CAPÍTULO 28
Em serviço – A. Luiz prontifica-se (sendo aceito) a trabalhar no período noturno nas “Câmaras de Retificação”.

CAPÍTULO 29
A visão de Francisco – A terrível angústia do Espírito que vê o próprio corpo e julga-o um monstro a atormentá-lo (esse Espírito era excessivamente apegado ao corpo físico e faleceu por desastre, só deixando-o quando, tomado de horror, vê os vermes desfazendo os despojos).

CAPÍTULO 30
Herança e eutanásia – A disputa entre familiares por herança... Triste caso de eutanásia, associada a interesses financeiros de um dos herdeiros.

CAPÍTULO 31
Vampiro – Há a impressionante narração do Espírito de uma mulher que queria adentrar no “Nosso Lar”, pelos fundos, sendo impedida pelo vigilante-chefe por se tratar de “forte vampiro” (trazia impressos em seu perispírito 58 pontos negros, correspondentes a igual número de abortos que praticara...). Sua admissão nas dependências de “Nosso Lar” colocaria em perigo os pacientes lá internados.

CAPÍTULO 32
Notícias de Veneranda – Em “Nosso Lar” existem os “Salões Verdes” por toda parte. São parques em árvores acolhedoras, locais de conferências ministeriais — foram criados sob inspiração superior da Ministra Veneranda, que possui o maior número de bônus-hora: um milhão de horas de trabalho útil (em 200 anos de atividade ali).

CAPÍTULO 33
Curiosas observações – A. Luiz reflete sobre sua vida de chefe de família que pouco edificara no espírito da esposa e filhos. Assusta-se quando vê dois elevados Espíritos ainda encarnados, em visita ao “Nosso Lar”, pois apresentavam características diferentes, em relação aos Espíritos desencarnados dali. Em passeio, vê cães, pomares e íbis junto às equipes socorristas, vindo a saber que prestam precioso auxílio quando das incursões no Umbral.

CAPÍTULO 34
Com os recém-chegados do Umbral – A. Luiz atende uma senhora assistida pelos Samaritanos e por imprudência abre diálogo improdutivo com ela, movido por curiosidade. Ela se desfaz em lamentações. A. Luiz é advertido por Narcisa.

CAPÍTULO 35
Encontro singular – A. Luiz encontra-se com antigo conhecido, o qual foi prejudicado por seu pai e por ele próprio, quando encarnados. Arrependido agora lhe pede perdão, num dos mais belos trechos dessa sublime obra literária.

 
CAPÍTULO 36
O sonho – A. Luiz dorme, deixa o “veículo inferior” (perispírito) no leito e sonha. Vai a uma esfera mais elevada e encontra-se com a mãe. É louvado e incentivado o trabalho pelo próximo, com novos esclarecimentos sobre o bônus-hora. Obs: Por este capítulo refletimos que se os desencarnados dormem e sonham, deixando o perispírito no leito, provavelmente será com outro corpo que se deslocam: pode ser com o corpo mental, “envoltório sutil da mente”, aludido pelo próprio A. Luiz em 1958, na p. 25, Cap II, 11ª Ed., do Livro “Evolução em Dois Mundos”, FEB, RJ/RJ.

CAPÍTULO 37
A preleção da Ministra – Observações sobre o pensamento: força essencial em todo o Universo, capaz de gerar o que se queira — bom ou mau...
CAPÍTULO 38
O caso Tobias – Reflexões sobre o(s) casamento(s) e o ciúme. Em “Nosso Lar”, duas ex-esposas de Tobias são amigas sinceras e convivem felizes.

CAPÍTULO 39
Ouvindo a senhora Laura – A. Luiz lembrava-se, atormentado por saudades, da família terrestre. Ouve, então, preciosas explicações sobre o “espírito de seqüência que rege os quadros evolutivos da vida”. É enaltecida a Bondade divina ao reunir desafetos pela consangüinidade.
CAPÍTULO 40
Quem semeia colherá – No departamento feminino das “Câmaras de Retificação” A. Luiz reencontra Elisa, que fora doméstica no seu lar terreno e da qual aproveitou-se irresponsavelmente. Ampara-a agora com extremado cuidado e bondade.

CAPÍTULO 41
Convocados à luta – Irrompe a 2ª Guerra Mundial, com repercussões negativas em “Nosso Lar”. Por essa lição ficamos sabendo como o plano terreno também influencia o espiritual, no caso, negativamente.

CAPÍTULO 42
A palavra do Governador – O medo é classificado como dos piores inimigos da criatura. Duas mil vozes entoam o hino “Sempre Contigo, Senhor Jesus”. A. Luiz vê pela primeira vez o Governador de “Nosso Lar”. O Governador esclarece aos trabalhadores de “Nosso Lar” os deveres relativos aos problemas criados pela Guerra. Informa serem necessários 30 mil servidores voluntários, desprendidos, para criar defesas especiais. Cita que em “Nosso Lar” são mais de um milhão de criaturas, que não podem ser agredidas pela invasão de milhões de espíritos desordeiros.

CAPÍTULO 43
Em conversação – Comentários sobre os horrores da Guerra. Nesse contexto, o Espiritismo sobressai como a grande esperança do Plano Espiritual, como o Consolador da humanidade.

CAPÍTULO 44
As “trevas” – As trevas são as regiões mais inferiores conhecidas em “Nosso Lar”, abaixo do próprio nível terreno (!). Ali, Espíritos jazem por séculos e séculos... Na verdade, encarnados ou desencarnados, Espíritos têm belas oportunidades de progresso, mas a maioria as renega.

CAPÍTULO 45
No “Campo da Música” – A. Luiz, feliz, integrado às atividades socorristas, foi conhecer o “Campo da Música”, onde se extasia ante a beleza musical do ambiente, espiritualizado: todos os Espíritos ali comentando com alegria a vida e os ensinamentos de Jesus.

CAPÍTULO 46
Sacrifício de mulher – Um ano após iniciar trabalhos A. Luiz sentia imensas saudades do lar terrestre. Sua mãe informa-lhe que breve ela reencarnará, visando amparar o ex-marido, mergulhado em problemas, perseguido por mulheres com as quais não procedeu corretamente. Essas mulheres, no futuro, reencarnarão e a mãe de A. Luiz ser-lhes-á mãe (!). São citadas as “reencarnações compulsórias”.

CAPÍTULO 47
A volta de Laura – A mãe de Lísias reencarnará em dois dias. Recebe fraternais despedidas dos amigos de “Nosso Lar”, A. Luiz inclusive. É citado o quanto de amparo espiritual recebem os trabalhadores de boa-vontade, principalmente em ocasiões tão importantes, como quando vão reencarnar.

CAPÍTULO 48
Culto familiar – É descrita a existência de um Globo de Cristal, com aproximadamente 2 m. de altura (utilizado para recepcionar Espíritos encarnados, nessa singular e “invertida” forma de reuniões mediúnicas no Plano Espiritual).

CAPÍTULO 49
Regressando à casa – A. Luiz visita, finalmente, o lar terrestre. Ali, encontra tudo diferente... a ex-esposa novamente casada e seu atual marido gravemente enfermo, além de estar assediado por Espíritos infelizes. A. Luiz sente-se roubado... Só uma de suas filhas sintonizou espiritualmente com ele. Mas, os ensinamentos auferidos em “Nosso Lar”, falam mais alto e o Amor explode em seu coração... (!).

CAPÍTULO 50
“Cidadão de Nosso Lar” - Pondo em prática tudo o que aprendera sobre o amor ao próximo A. Luiz socorre o enfermo. Auxiliado por Narcisa e por “servidores comuns do reino vegetal”. Obs: “Espíritos da Natureza”: seriam esses Espíritos aqui citados, com ação sobre a Natureza, os mesmos citados por Allan Kardec nas questões 536 a 540 do “O Livro dos Espíritos”? De volta ao “Nosso Lar”, feliz pela vitória do bem em si mesmo, A. Luiz é recepcionado festivamente com a honrosa declaração de que passou a ser “Cidadão de Nosso Lar”.

Fonte: http://www.institutoandreluiz.org/sinopse_nossolar.html

Márcia Canêdo

By JORNALISMO ANTENADO with 10 comments

quarta-feira, 2 de junho de 2010

Criatividade é tudo

Como vender um celular de forma criativa?!

Esta empresa descobriu que aliar a criatividade e a arte aos seus produtos se torna uma excelente forma de chamar a atenção dos consumidores . Tem como não parar e prestar a atenção em uma publicidade desse tipo numa revista, outdoor e principalmente na televisão? Impossível concordam?!



A preocupação com os mínimos detalhes em cada uma das imagens, retratando as maravilhas do mundo dentre outras ficou impecável. Se realmente a venda dos aparelhos aumentou , sinceramente não sei, mas que é inegável que a campanha publicitária merecia prêmio por criatividade acredito que todos irão concordar.

Fonte: Desconhecida (imagens recebidas através de uma amiga por e-mail) 

Márcia Canêdo

By JORNALISMO ANTENADO with 21 comments

    • Popular
    • Categorias
    • Arquivos